Segundo os psicanalistas, os objetos que as pessoas possuem podem revelar aspectos de suas personalidades.  A rara e frágil coleção de menus em porcelana, que Perez & Prado Antiquários têm a satisfação de oferecer, denota, sem dúvida, a socialidade de anfitriões, ex-proprietários das peças, que praticaram a arte de bem receber. Efetivamente, enquanto os cardápios de restaurantes expõem as opções de pratos e seus preços, os delicados e, às vezes, individuais menus domiciliares representam uma atenção especial dispensada aos convidados, ao antecipar-lhes o que irão comer e beber.  No caso de órgãos públicos, a exemplo dos que se ocupam de relações exteriores ou negócios estrangeiros, trata-se de uma deferência a autoridades, em homenagem às quais as refeições são oferecidas.

Apesar de o termo ser francês (1), derivado do latim “minutos”, que significa miúdo, os alemães reivindicam a invenção do menu, que teria surgido em 1521, quando o duque Brunswick-Wolffenbüttel mandou escrever em um pergaminho a lista de acepipes que seriam servidos no banquete de abertura da Dieta de Worms, ocasião em que Martinho Lutero, líder da reforma protestante, foi proscrito. Contudo, o pergaminho jamais foi encontrado, diferentemente do menu de 48 pratos, desenhado pelo calígrafo Brain de Sainte-Marie para o banquete que Luís XV ofereceu a seus financistas, em 21 de junho de 1751.  O exemplar, guardado no museu do Palácio de Versalhes, por constituir prova documental, é considerado precursor dos menus.

Quanto aos menus em porcelana, surgiram no século XIX, na França, na Alemanha ou na Inglaterra. Seu uso estendeu-se até a década de 1940, com influências dos estilos Art Nouveau e Art-Déco. São placas de porcelana, decoradas à mão ou por decalcomania, destinadas à reprodução de menus por escrito, utilizando-se, para tanto, grafite, quando a superfície é porosa, ou seja, de biscuit, ou nanquim e, modernamente, caneta hidrográfica. Raramente possuem marca de fabricante, o que dificulta a identificação da origem.  Cumpre mencionar, ainda, uma nova versão de menu em porcelana, ou seja, o prato comemorativo encomendado pelo Hotel Hilton Paris Opéra, possivelmente em homenagem a Paris Hilton, herdeira da cadeia de hotéis Hilton, prestes, então, a completar 15 anos, sobre o qual foram impressas as iguarias (nove itens) servidas na noite de São Silvestre de 31 de dezembro de 1995, regadas a Ty Nant, a famosa água mineral natural do País de Gales, e a Mumm, tradicional champanhe francesa de Reims.

Perez & Prado informa, finalmente, que abrirá no próximo sábado, 14 de abril, de 14,00 às 18,00 horas.  Venha conhecer os menus em porcelana e outras raridades.

(1)  O termo português “cardápio” origina-se da junção do latim “charta”, papel, e “dapum”, genitivo de “dapes”, iguaria.